Como fazer seu currículo: modelos e dicas essenciais de preenchimento

13 ago 2013 | 14:23

Fazer um currículo é bem simples, apesar disso, várias pessoas não sabem como fazer um bom curriculo.

Você já sabe que, para conseguir aquele emprego tão sonhado, precisa ter em mãos um currículo impecável.

Isso significa não apenas ter inúmeras experiências profissionais – sim, isto encanta qualquer recrutador, mas não é o bastante – mas ter um currículo vitae que diga o profissional competente que você é, sem erros de ortografia e concordância, e que seja sucinto. Viu?

Fazer um currículo é simples, mas, para que esta tarefa se torne ainda mais fácil, separamos vários modelos de currículos para que você apenas preencha. Mas lembre-se. Como há vários modelos de currículos, utilize aquele que se adéqua a sua realidade.

Nada de inventar informações a respeito da sua carreira profissional só porque existe um campo no currículo. Tudo será checado pelo recrutador, tenha isso em mente!

Modelos de Currículos simples

O modelo de currículo simples é o ideal para quem não sabe qual modelo seguir. Ele contempla todas as informações necessárias para quem busca uma nova colocação no mercado de trabalho. A primeira informação de qualquer currículo, e isso também vale para os modelos mais simples, é colocar seu nome completo centralizado ou no canto esquerdo da página numa fonte Arial 14. Pode usar em negrito, com a primeira letra do nome e sobrenome em maiúscula e as outras minúsculas.

Clique aqui e veja modelos de currículos para diversos cargos.

A informação seguinte é preencher os campos dos dados pessoais. Esta parte do currículo deve conter as seguintes informações: endereço completo, telefones para contato (fixo e celular), data de nascimento e e-mail profissional.

A segunda parte do currículo é aquela que se relaciona com sua vida profissional. O primeiro campo é “Objetivos profissionais”. Esta é, sem dúvida, a parte mais importante do currículo, isso porque, é nesta curta frase que os empregadores conhecem um pouco do seu perfil profissional. Seu objetivo profissional é sua intenção profissional. Neste campo você deve descrever o cargo que pretende ocupar ou em qual área deseja trabalhar. Faça isso em, no máximo, duas linhas e da forma mais objetiva e clara possível.

A terceira parte do currículo chama-se “Formação” ou “Escolaridade”. Preencha sempre do curso mais recente para o mais antigo. Se você busca por uma primeira oportunidade de emprego, pode omitir a instituição em que você cursou o Ensino Médio, devendo colocar apenas a instituição que fez graduação, pós-graduação, mestrado etc. Mas, se procura por um estágio, pode colocar a escola onde estudou, principalmente se junto com o ensino regular você fez cursos técnicos. Isso enriquece ainda mais seu currículo.

O próximo item são as “Experiências profissionais”. Coloque cada uma de suas experiências em ordem decrescente, ou seja, do emprego mais recente para o mais antigo, citando o nome da empresa, o período em que esteve nele, qual era seu cargo e suas principais responsabilidades. Fique atento, é preciso ser bastante objetivo nesta parte. Liste apenas as três últimas experiências que tiverem relação com a empresa ou vaga que você busca.

A quarta e última parte do currículo é intitulada “Cursos”. Coloque neste campo, todos os cursos que você fez, também em ordem decrescente, especificando o ano, o nome do curso e a empresa ou pessoa que o ministrou. Também é importante informar o tempo de duração das atividades. Neste campo você deve colocar os cursos de idiomas e de extensão. Lembre-se: estas informações serão checadas! Seja verdadeiro e honesto. Não adianta falar que possui um curso de informática avançada se ainda não passou da fase inicial. Ao final do seu currículo, coloque apenas a data. Não é preciso assinatura.

Como Fazer um Currículo Simples

Na hora de fazer um currículo tenha em mente que “menos é mais”. Currículo simples pode sim ser completo.

O desemprego bateu a sua porta e você precisa urgentemente de um novo emprego? Novo emprego significa bom currículo! Mas por onde começar? Quais informações devem ser colocadas no currículo? Dizer tudo ou omitir algumas partes? Neste artigo vamos ensinar como fazer um currículo simples, porém completo, para que você consiga um reposicionamento no tão concorrido mercado de trabalho.

A primeira coisa que você deve saber é que um bom currículo é aquele que é conciso, verdadeiro e, ao mesmo tempo, objetivo. Não adianta você florear informações, afinal de contas, todas as informações que você colocar em seu curriculum vitae serão checadas pela empresa. Então, nada de dizer que você tem cursos que não possui ou aumentar informações, como por exemplo, dizer que é fluente em inglês sendo que nem passou da etapa básica. Dizer a verdade, sempre, para garantir o sucesso do seu currículo.

Para quem não tem muita habilidade ou não possui uma extensa experiência profissional, ter em mãos um currículo simples facilita bastante. Existem vários modelos prontos na internet, mas, basicamente as informações que devem ser inseridas são seus dados pessoais, com nome completo, endereço, telefones para contato (fixo e celular), data de nascimento e email profissional, objetivos profissionais, escolaridade, experiências e cursos. Lembre-se, não é necessário inserir números de documentos. Colocar foto no currículo também não é necessário, exceto nos casos em que o contratante solicite.

Depois de ter preenchido seus dados pessoais, descreva quais são seus objetivos profissionais. O objetivo profissional é uma das partes mais importantes do seu currículo. Isso porque é por meio dele que os empregadores sabem um pouco sobre seu perfil profissional. Por isso, é fundamental que você tenha seu objetivo profissional bem definido, para que quem leia seu currículo saiba que você tem um plano de carreira bem traçado. Neste item você deve colocar o cargo que pretende ocupar ou em qual área gostaria de trabalhar.

Tenha em mente que, ao descrever seu objetivo profissional, ele deve ser objetivo e direto, mostrando onde você gostaria de trabalhar naquela empresa. Nada de colocar frases prontas e genéricas. O conteúdo do objetivo profissional deve ser bem claro, mostrando exatamente o que você quer. Faça isso em, no máximo, duas linhas.

O próximo passo é preencher sua escolaridade. Se procura por uma vaga de estágio, coloque a escola em que você estudou o ensino médio, a faculdade em que você estuda e o ano de conclusão do seu curso. É importante que você coloque a previsão de formatura para quem estiver te contratando saiba que terá um profissional graduado em determinado tempo. Lembre-se que estas informações aparecem em ordem decrescente.

Mas, se você já formou na faculdade e busca por um primeiro emprego, pode ocultar do seu currículo a escola em que você fez o Ensino Médio. É relevante, neste caso, as informações sobre a graduação e pós-graduação, se houver.

As experiências profissionais também fazem parte de todo e qualquer currículo. Para quem tem experiência, vale colocar informações como o nome da empresa, o ano em que você entrou e saiu da organização, seu cargo e quais eram suas principais responsabilidades. Tudo em ordem decrescente.

Para quem não tem experiência, no caso de quem procura por uma primeira oportunidade no mercado de trabalho, vale ressaltar os projetos que fez na faculdade, os trabalhos voluntários que tenha feito ou até mesmo se era integrante de Diretórios Acadêmicos ou líder de turma. Isso demonstra, para quem o contrata, que você tem espírito de liderança.

A última etapa de um currículo simples é intitulada “cursos”. Neste campo, coloque os cursos que você tenha feito: informática, idiomas, atividades de extensão, dentre outros. Lembre-se, todas as informações serão checadas! É preciso ser verdadeiro e dizer apenas o que realmente você consegue comprovar. Se você não tem um certificado de determinado curso, peça ao ministrante que lhe dê uma declaração de participação no mesmo. Palestras que você tenha participado e que contribuíram para a sua formação também podem ser colocadas nesta parte do curriculum vitae.

Veja dicas para preencher cada etapa do Curriculum Vitae:

1 – Dados pessoais
O início do currículo deve apresentar o profissional, com nome completo, idade, estado civil, endereço, cidade, região, telefone (celular, residencial ou para recados) e e-mail. Não é preciso informar o CEP.

2 – Objetivo
Neste tópico, os profissionais precisam escrever de forma direta para que a empresa veja qual é a posição de interesse. Os candidatos não devem colocar diversos objetivos juntos.

3 – Resumo de qualificações
É importante que os candidatos aproveitem esse espaço para colocar informações positivas sobre sua carreira. O objetivo é chamar atenção para que o recrutador leia o currículo até o final. Nesse item, o profissional deve pensar quais habilidades, conhecimentos e experiências que ele possui seriam positivos para a posição e companhia. A partir dessa resposta, é possível selecionar o que será colocado no resumo.

4 – Formação acadêmica
O candidato deve colocar o último grau de escolaridade que possui, ou seja, quem não tem nível superior deve citar o nível médio, e assim por diante. Profissionais com MBA, pós-graduação ou curso técnico devem mencioná-los. A descrição deve ter o nome da instituição, curso e ano ou previsão de término.

5 – Experiência profissional
As informações precisam estar em ordem decrescente, da exoeriência mais recente para a mais antiga. A descrição deve conter nome da empresa, cargo, mês e ano de entrada e saída e atribuições. O candidato precisa colocar as atribuições e responsabilidades que tinha na empresa. Ele também pode relacionar as atividades com os resultados obtidos e ainda destacar as promoções.

6 – Cursos complementares
Cursos extracurriculares ou de curta duração e workshops podem ser informados. É importante mencionar o nome da instituição, mês e ano de início e término e carga horária.

7 – Idiomas
O candidato precisar ser honesto e indicar seu real conhecimento no idioma, já que o recrutador poderá testá-lo durante a entrevista. A fluência pode ser categorizada como: básico, intermediário, avançado e fluente. Caso o profissional não tenha conhecimento, não é necessário informar.

8 – Informática
O profissional pode informar seus conhecimentos em cada programa e categorizá-los. Para quem fez curso na área vale colocar, seguindo o padrão utilizado nos cursos complementares.

9 – Outras informações
Neste campo, o candidato pode informar experiências internacionais e trabalhos voluntários. Atividades feitas fora do horário de trabalho podem ser citadas, desde que tenham relação com o emprego ou destaquem as qualidades do profissional.

10 – O que não colocar
– Foto (Só deve ser enviada quando empregador solicitar)
– Número de documentos
– Título “currículo vitae” ou “currículo”
– Pronomes pessoais (Ao invés de colocar “eu desenvolvi um projeto” substitua por “desenvolvimento de projeto”)
– Informações negativas (Profissionais que não possuem algum tipo de conhecimento, não devem colocar essa informação. A melhor opção é não informar nada)
– Nome de pais, marido ou esposa e filhos
– Referências pessoais (Contatos de pessoas que podem falar sobre o profissional não devem ser indicados)
– Motivo de saída de empregos anteriores
– Pretensão salarial
– Cartas de referência
– Certificados de cursos realizados
– Data e assinatura

Da redação com Fazercurriculo.com

 

Comentários ()